23 outubro 2008

A réstia

O que sobra deste langor infinito?
Deste torpor.
Desta prostação lenta e duradoura.

Ultrapasso medos.
Transponho angústias.
Supero receios.

E no entanto.

O mundo jaz.
Nada se altera.
Tudo permanece.

Resta uma réstia de vida.

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Lá está.Continuas a nao perceber que uma restia de vida pode ser o principio de tudo.Um big bang.
Há quem viva muito com pouco, e há quem viva pouco tendo tudo.
Sempre as minhas musicas favoritas. Pena ter estado tao alto no concerto...mas mto bom.

bjs!!!!!!!!!
cat(single and lonely)

15:53  
Blogger G! said...

resta uma réstia, não quer dizer que não comece uma nova fase, aliás estamos sempre confrontados com a possibilidade de nos restar uma réstia, mesmo que não saibamos.
há de facto quem viva muito com pouco, mas também há quem viva muito com muito e pouco com pouco.
music was your first love...

16:36  
Blogger Bluedog said...

Gongas, estás a precisar de uma terapia de choque, estilo SLB perder os jogos todos e veres entao como ainda assim o Barbas continua a acreditar...não está brilhante, mas percebe-se, não ? Bj

11:37  

Enviar um comentário

<< Home