31 outubro 2008

Hellhoween

Não gosto da ideia da importação da festa de Halloween.
Uma festa tradicionalmente americana que, na sua cultura e génese local, até tem algum sabor, algum sentido ou função social de integração, mas que aqui na santa terra não tem qualquer nexo ou fundamento. Uma comercialização e internacionalização da celebração pagã que nas palavras "Gostosuras ou travessuras" atinge o risível e irrisório.
Não se pode impor algo que demorou várias gerações a cimentar no seu local de origem, múltiplas décadas, e no entanto hoje em dia é incontornável encontrar referências a esta festa nos media, na publicidade, nas lojas, e tantos outros locais como que travestindo-nos momentâneamente em ianquees da merdaleja.
No limite até teria a sua piada se, como nos States, todos se mascarassem e todos aderissem ao fenómeno, mas há algo patético em ver quatro matarruanos mascarados das coisas mais escabrosas que, salvo excepções, raramente obedecem ao espírito. São homens vestidos de mulheres, vestidos de árabes, vestidos somente com uma farta cabeleira, vestidos de ciganos e, aqui e ali, um ou outro verdadeiramente mascarado de múmia ou Freddy Kruger. É vê-los algo desolados a andarem na rua até à festa na boîte local onde, aí sim, abraçam o espírito da coisa.
So sad.

2 Comments:

Blogger b said...

Concordo, concordo, concordo e concordo!!! Deixem as cabeças de Abóboras para o povo americano. Além do mais, o Hallowen não é mais que um resultado estratégico de manipulação da Igreja católica em face de costumes pagãos que nem sequer começaram na América, mas o que é que isso interessa?

Gera aumento de vendas, mesmo que de coisas que não nos servem para nada.

A minha filha hoje foi gozada na escola por não ter levado a suposta fatiota, lá tive eu que lhe dizer que isto de sermos iguais aos outros é que não é assim tão interessante.

02:01  
Anonymous Fred said...

Confesso que nunca me seduziu a ideia de festejar o "Halloween" - que mais parece uma versão spooky do Carnaval, embora nem todos os trajes acabem por ser assustadores. Nem tão pouco o fstejo do Carnaval, mas isso ja é outra história..

Mas em determinada altura da minha vida, estava eu nos EUA, fui convidado para uma festa de Halloween. Nessa altura nao hesitei e foi uma experiência muitoooooo divertida e todo o espírito da festa fez sentido! No ano seguinte, ja em Portugal, alguem falou-me numa pseudo-festa halloween mas ja nao fui capaz.

I guess there's a time and a place for everything.

17:33  

Enviar um comentário

<< Home