04 dezembro 2008

O que queres ser quando fores grande?

Nunca pensei verdadeiramente no que queria ser quando fosse grande. Nunca tive um destino iluminado que me guiasse, que me movesse, que me levasse pela mão uns passos mais à frente.
Não servem de muito de qualquer forma, essas ideias, esses pensamentos, porque no fundo não somos aquilo que fazemos, antes aquilo que sentimos, aquilo que vamos construindo e aquilo que deixamos para trás. Por isso ainda hoje continuo a pensar e provavelmente nunca deixarei de o fazer. A pensar no que quero ser quando fôr grande, verdadeiramente grande, porque a nossa grandeza não tem momento próprio, não tem idade nem tempo. Pode surgir a qualquer momento, pode já ter aparecido, pode infelizmente nunca aparecer.
Quando era pequeno sonhava.
Sonhava em ser algo maior, melhor, mais completo. Sonhava com o riso dos outros, com o meu próprio riso, com momentos de alegria e felicidade. Sonhava com a pureza do ser humano, sonhava em continuar a sonhar. Sempre. Olhava para as nuvens e sorria. Como o estrangeiro de Baudelaire pensava “Qu'aimes-tu donc, extraordinaire étranger? J’aime les nuages... les nuages qui passent... là-bas... là-bas... les merveilleux nuages“. Ainda hoje olho para as nuvens e ainda hoje me sinto um estrangeiro dentro de mim.
O sonho, o verdadeiro sonho, comanda a vida, não o pensamento abstracto, audaz e solitário. Como viver então se já não existe esse sonho, ou se simplesmente nunca existiu? É difícil, requer empenho, dedicação, esforço e determinação para continuar o caminho, um caminho sem brilho, sem luz, que vive e permanece na penumbra dos outros. Porque a luz é escassa do outro lado da estrada.
Quando fôr grande quero continuar a sonhar, continuar a pensar em ser grande e talvez, talvez, ter um verdadeiro objectivo, genuíno e determinante, que me mova e reconforte, além do sonho eterno de ser feliz.

8 Comments:

Blogger ME said...

quando era pequena dizia que quando fosse grande queria ser grande... agora que sou grande, quero voltar a ser pequena!

17:52  
Blogger Giso said...

Engracado. Tive essa conversa ontem com as miudas durante o almoco. A F quer ser cantora ou artista. A M nao sabia bem, mas hoje disse-me que queria ser professora de karate. :-)
Eu qd era miuda, queria ser pintora, astronauta ou cientista. lol. Acho que daqui a uns meses vou ser ... desempregada. E talvez feliz?

05:52  
Blogger G! said...

bem, já arranjei professor de karaté então...mais uns aninhos...

a F, tem veia artística, a quem sairá?

mas tu és cientista! um sonho tornado realidade?

bjs

12:13  
Blogger Giso said...

Talvez. Desde miuda que a ciencia me fascina. Era isso que estava a explicar 'as miudas. Que deviam escolher coisas que gostam de fazer e procurar profissoes que as incorporem. Por exemplo, tu ainda es um sonhador. :-) E a M teve hoje uma aula de karate. Dai a escolha.
Teem as duas veia artistica e adoram musica. Mas acho que todas as criancas em geral teem. A F desde os 3 anos que faz shows com musica, letra e danca dela. Agora parou, diz que tem vergonha. A M fica fascinada com tudo o que faz barulho. Ja' lhes disse para fazerem uma banda as duas.
E' de familia, nao sei. O avo do N era tenor. O tio palhaco. A minha irma e' escultora...
Bjs

18:09  
Blogger RC said...

Quando for grande quero ser mulher. :)

20:04  
Blogger b said...

Este comentário foi removido pelo autor.

03:17  
Blogger b said...

Porque é que achamos que devemos ter uma única missão? É obrigatório o sonho ter que ser uma função? Porque é que o sonho não pode ser o percorrer, o experimentar, o mudar e o aprender? Ou tudo isto e ainda mais alguma coisa? Sonhar é voar, imaginar, é ir para além do horizonte. Onde não existe fim. É viver, sem ter que ser. Não...?

14:33  
Blogger Bluedog said...

EU QUANDO FÔR GRANDE QUERO VOLTAR A SER CRIANÇA.

01:00  

Enviar um comentário

<< Home