30 dezembro 2008

O corredor

Para lá e para cá
Para cá e para lá
Da esquerda para a direita
E da direita para a esquerda.

Pés que se arrastam
Suspiros que se desdizem.

Já não corre ninguém neste corredor
Arrasta-se o tempo na pedra fria
Anda-se pesadamente
Sob o fardo de um sopro que teimosamente resiste.


Para cá e para lá
Para lá e para cá.

Ao som rítmico das pantufas que tocam no chão
Como um tambor de jazz intermitente
Com palhetas de alegria
E batidas de mágoa.

Onde outrora corriam crianças
Corre agora uma leve brisa
Com cheiro a remédios
Sons de súplicas
E uma cor que se esbate.

O corredor permanece
Intacto
Frio
Infinito.

Para lá e para cá
Para cá e para lá.

3 Comments:

Blogger Bluedog said...

Para lá, para o Ano Novo que está aí á beira, para o meu querido Gonçalo que me ofereceu um presente de Natal que guardarei sempre em mim, pois é uma parte dele, da sua escrita, da sua condição de agente do Mossad sempre em busca de novas aventuras, que a vida é sempre e cada dia uma aventura que vamos percorrendo, por vezes de lá para cá, outras de cá para lá, para a Terra do Amanhã, onde uma mão amiga nos recebe e nos encaminha nesta Busca permanente de Nós e do Outro, sempre !

20:13  
Anonymous Anónimo said...

aqui venho desejar-te umas boas saidas e melhores entradas. Que o Ano que ai vem, seja muito bom para ti. Cheio de Saúde, Paz, Alegria, Amor e dinheiro. Que seja um ano que te traga muita felicidade. E muitas e novas aventuras.
Um Bom Ano de 2009


Um abraço deste Pinochet!

13:38  
Blogger b said...

G, boas entradas, e muitos posts para eu poder continuar a vir cá lê-los...:-). Beijinho grande, b.

16:11  

Enviar um comentário

<< Home