09 junho 2009

Bictor, o homem do lixo.

O Bictor Constâncio, como diriam as gentes do Norte, teceu ontem algumas declarações no Parlamento que me deixaram algo pensativo.
Bictor disse, no seu tom firme, convicto e inocente: "o meu lixo continua limpo". Ora aí está uma linda declaração.
Primeiro, o seu lixo, Senhor Bictor, é tão sujo quanto ao dos outros e pensar o contrário, além de presunçoso, é errado. No Seu lixo certamente encontraremos o mesmo género de detritos que se encontram no lixo dos restantes comuns mortais, vulgo "não banqueiros".
Segundo, porque para lá de uma declaração que ser quer algo nobre, ficámos a saber que o Senhor tem lixo o que, utilizando a sua própria metáfora, não é propriamente positivo. É como dizer, "sim sim tenho os meus podres, mas são mais lustruosos do que os vossos". Não se diz, não é bonito e fica-lhe mal.
Quem tem a consciência limpa, digo eu, não utiliza um termo como "lixo". Eu, pessoalmente, nunca diria que "o meu lixo está limpo" para dizer que estou inocente. Diria que tenho a consciência limpa, isso sim, agora o "lixo"... Não me parece.
Fiquei portanto com a sensação caro Bictor, que o senhor, além de uma certa propensão escatológica, tem algo a esconder e que o escondeu perante o Parlamento e perante os portugueses.
E isso não é bom.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

ele e mais 10 milhoes de chineses/portugueses! é um escandalo...mais um. Isto ta pior do que o Brasil...
Só falta o Colllor de Mello e a festa com os anões de cinzeiros na cabeça.

kiss
catWolverine

02:10  
Blogger G! said...

Só tu é que acompanhas o meu blog wolf...só tu.
A comparação com o Brasil já era, temos que começar a comparar com o Burkina-Fasso ou qualquer coisa do género...
bjs

11:33  

Enviar um comentário

<< Home