27 novembro 2007

E ME(rda) L

Carta aberta à EMEL.
Exmos Senhores,
Antes demais deixe-me congratular V.Exas. pela côr imaginativa e inspiradora que escolheram há já algum tempo para substituir as tradicionais fardas verdes azeitona. O cinzento e o bordeaux constituem efectivamente uma abordagem mais positiva e inovadora numa sociedade demasiado alegre do que um verde demasiado clássico. A escolha residiu certamente na capacidade de desaparecerem na envolvente e agora basta os vossos funcionários enconstarem-se a um prédio da capital para que automaticamente se tornem invisíveis e multar ou bloquear o primeiro automobilista inadvertido. Os meus parabéns!
No entanto a minha mensagem não versa unicamente sobre o tema da moda própria dos fiscais privados dos espaços públicos. Não. A minha mensagem tem por objecto a restituição dos 70 cêntimos que paguei numa vossa caixa automática hoje, às 13h24, na Avenida de Paris em frente ao número 10, e que não me foram devolvidos sem que o respectivo talão comprovativo de pagamento tivesse sido emitido.
Tendo em conta que V.Exas. exigem aos cidadãos cumpridores o pagamento dos vossos espaços para que não sejam multados, bloqueados ou mesmo rebocados, eu também tenho o direito de reaver os meus 70 cêntimos que coloquei naquela máquina e que nunca mais vi. Poderão afirmar que 70 cêntimos não é muito e que estou a fazer muito barulho por nada, mas a verdade é que, apesar de 70 cêntimos não ser de facto muito dinheiro e não servir para grande coisa hoje em dia, sempre dá para ... pagar o estacionamento na cidade.
Se formos fazer contas, tendo em mente o facto de que se trata de uma zona muito movimentada, se 200 pessoas tiverem colocado 70 cêntimos na vossa máquina hoje sem que pudessem parquear, são 140 Euros que a EMEL empocha assim do nada. Ah pois é! E se tivermos em conta que uma máquina pode ficar avariada, imaginemos, 30 dias, são 4.200 Euros num mês para cidadãos que ficam a ver navios. Nem quero imaginar o dinheiro que V.Exas. vão amealhando ano após ano por deficiência técnica que vos é claramente imputável e isto sem que haja qualquer devolução aos lesados.
Por isso, e uma vez que obviamente não tenho qualquer comprovativo de que efectuei o pagamento, vão ter que acreditar na minha palavra e devolver os meus 70 cêntimos logo que possível.
Aguardo resposta para envio de NIB para transferência bancária.
Atenciosamente
G!

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

é inacreditável..
mas mandaste mesmo a carta? é que se ninguem se queixar oficialmente nunca nada irá mudar..
já estou como a Filomena Mónica, isso cabe ao cidadao e nao ao estado..


bjs

valeriana

15:36  
Blogger G! said...

mandei por mail

16:26  

Enviar um comentário

<< Home