07 julho 2010

Aninhas



Na segunda-feira passada a Aninhas deixou-nos.
A Aninhas era uma cadela de rua que foi recolhida há alguns anos.
Andava escondida nos átrios dos prédios de Miraflores, ora abrigando-se do sol e do calor, ora protegendo-se da chuva e do frio, alimentando-se verdadeiramente daquilo que Deus lhe providênciava. A Luisa começou a alimentá-la com alguma regularidade e o meu Pai a acompanhá-la enquanto passeava o nosso outro cão, o Pipas. Naturalmente, porque o coração assim manda, acabou por ser adoptada.
Chegou lá a casa com os receios dos cães maltratados que sempre lutaram para fazer deste mundo também o seu lugar, apesar das agruras da vida, apesar da maldade dos homens, apesar de tudo indicar que a mera sobrevivência não era sequer opção. Assustada, escondida, apreensiva e carente. Olhava para nós com uns olhos de mel cheios de ternura como que a agradecer a gentileza e na esperança que não fosse por pouco tempo.
Foi até sempre.
Está agora certamente num lugar bom, a brincar com a Bouboulle e com o Tobias e comer todos os ossos que já não podia comer.
Até já Aninhas.

5 Comments:

Blogger Bluedog said...

A Aninhas viverá sempre nos nossos corações e inspirará quem a conheceu a ser tão meiguinho como ela, a dar sem esperar nada em troca, a viver e exprimir de imediato no olhar a imensa ternura que a animava. BONS OSSOS, querida Aninhas

13:47  
Blogger Ysse said...

Ainda não percebi porque é que as pessoas tratam mal os animais ... :s e porque os abandonam ... ainda hoje parece que aqui a terrinha dos "pseudo-subúbios" de Lisboa, aloja uns quantos animais nessas condições ... faz-me imensa confusão .

01:53  
Blogger G! said...

porque são umas bestas.

09:31  
Blogger Ysse said...

Está bem são umas bestas ... mas não se compreende.

22:53  
Blogger ecila said...

:-( Custa muito quando os nossos amigos partem. Ainda bem que a acolheram, de certeza que lhe proporcionaram uma vida feliz.

Todos os caes que tive (e tenho) também foram recolhidos da rua. A nossa cadela actual (Lua) foi abandonada grávida. Levou algum tempo a recuperar emocionalmente (há muita gente...parva). Hoje em dia é a cadela mais alegre que conheco.

Muita força, um dia hao-de encontrar-se outra vez. Um abraço :)

15:19  

Enviar um comentário

<< Home