31 maio 2007

Notes on a book

Nas cinzas do tempo
Na memória de cada momento
Ando por entre as ruínas do meu pensamento

Nas cinzas das horas
O fogo arde, a chama chama-me
Inexoravelmente

À sombra triste da tua ausência, infinitamente
Espero pelo breve momento
Em que a memória do tempo
Te conduza de volta ao meu pensamento

À sombra iluminada das cinzas do tempo
Revejo o sinal brilhante do teu aparecimento
E, em cada momento,
Peço que me levem com as cinzas ao vento

Numa brisa quente
Voltar a perder-me nos teus olhos
Voltar a encontrar-me na tua pele
Para que as horas do meu pensamento
Voltem à intensa memória de cada momento

Instantes infinitos à beira do tempo
Quando sentíamos ambos o calor ardente
Dos nossos corpos unidos ao vento

Quero viajar com as cinzas do tempo
Para que a chama que me chama
Volte a arder em cada momento

E nunca mais perder o teu pensamento

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

thanks...

shabushabu

16:04  
Blogger G! said...

;-)

16:28  
Blogger Bluedog said...

Muito bonito G!

Beijinho

20:47  

Enviar um comentário

<< Home