12 dezembro 2006

Te vás Augusto

Finalmente morreu Pinochet.

A 11 de Setembro de 1973, subiu ao poder pela mão amiga dos Estados Unidos da América e apoio da C.I.A. num golpe de Estado que derrubou Salvador Allende, morto pelos militares dizem uns, suicidando-se no local com a pistola que lhe oferecera Fidel Castro defendem outros.

Antes demais, uma breve consideração sobre o papel dos Estados Unidos que advogam a liberdade e a democracia aos sete ventos mas que espalham o ódio e a morte sempre que o entendem necessário, sem sequer pensar duas vezes no bem estar local, antes considerando o volume financeiro que advem da venda de armas, da reconstrução de países arrasados, da liberalização dos mercados às empresas norte-americanas, entre outros. O Iraque actual tem um "ligeiro" travo a Chile dos anos 70.

Pinochet é amado por uns, odiado por outros, e por mim. Por um lado foi na altura visível que a ditadura trouxe estabilidade económica ao Chile, mas como sabemos a estabilidade económica pode ser passageira, e tem o seu preço, como de facto o foi - já agora, Hilter, também ele, reconstruiu uma economia alemã em ruínas quando subiu ao poder. Em vez disso ficaram os constantes atropelos aos direitos humanos, as mortes, as torturas, as contas secretas - em ambos os casos.

Contas feitas terão sido presas pela D.I.NA (Direccíon de Inteligência Nacional), as PIDE locais, cerca de 300.000 pessoas, 35.000 torturadas, 3 a 4 mil assassinadas e centenas desaparecidas, muitas vezes somente por fazerem ouvir a voz da sua discórdia a um regime autoritário e sangrento. Além de tudo, soube-se em Julho deste ano que ele usou instalações do exército chileno para a produção de cocaína, negócio esse que o enriqueceu a ele a ao filho. Afinal, tudo não passou de uma mísera negociata, como muitas vezes acontece.

Em 2001, para se livrar dos tribunais alegou insanidade mental, o que lhe permitiu nunca ser condenado pelos seus crimes, sacudindo do ombro o sangue dos que matára. A justiça chilena infelizmente compadeceu-se e não o julgou, resta-nos uma pequena esperança chamada Baltazar Garcón.

Foi-se sem chama, porque lhe faltou o coração, mas foi-se aos 91 anos, tempo demais para tanta maldade.

Finalmente morreu Pinochet.


8 Comments:

Anonymous Anónimo said...

é uma pena que as pessoas tenham memória curta no que diz respeito a ditadores.
Pensar que ainda há que se manifeste em seu favor...
Muito bom o seu texto e a musica tb.
cat

14:43  
Blogger Bluedog said...

Não se podem esquecer todos os Pinochets deste Mundo, nunca, mas...ainda há bem pouco tempo alguém anónimo de regozijava num blog privado e conhecido, afirmando que o Chile ( graças ao "tio" Augusto, entenda-se )se tornara num dos grandes "players" (textual, está na moda) do mercado mundial de vinhos.

SO, WHAT ???

Zurze-lhes, big yeti, que eles merecem (só) isso !!!

19:58  
Blogger G! said...

zurze-lhes big yeti?

20:10  
Anonymous Anónimo said...

BD, acho que pela primeira vez discordo totalmete da sua opiniao.
Essa teoria de que os ditadores fazem evoluir o país até pode ser verdade, mas sinceramente nem acredito que se possa colaborar nem um bocadinho com qualquer tipo de poder autoritário que funcione na base do terror da tortura e do assassinio de inocentes.
Tb há muita gente que costuma dizer que graças aos nazis a medicina avançou brutalmente, o que mais uma vez deve ser verdade.
Esqueçem-se das experiencias em grávidas e das injecçoes nos olhos de crianças etc...
Alias estive a ver varios programas que deram recentemente na dois sobre o holocausto e aconselho qqer pessoa que tenha uma resma de esquecimento a ver o que ninguém deveria ver.
Pessoalmente prefiro um mundo que nao avançe onde as pessoas sejam livres do que um com ditadores que seja organizado e evoluido.
Quye se lixem os vinhos!
bjs cat

14:47  
Anonymous Anónimo said...

Ah, thanks for the rose.
Love U!

14:49  
Blogger Bluedog said...

Querida Cat, lamento mas percebeu tudo ao contrário.

O "SO WHAT" final quer dizer isso mesmo, que se lixem os vinhos face ao TERROR, ao CRIME ORGANIZADO, à TORTURA...ÀS MÃOS DECEPADAS DO VÍTOR JARA.

Se me referi a esse comment foi para me espantar e indignar com esse tipo de opiniões, daí o "zurze-lhe BIG YET", ou seja, NÃO LHES PERDOES, QUERIDO G!

Então pode passar-lhe pela cabeça que eu pudesse ter o mínimo de consideração por PINOCHETS, HITLERS, STALINES, POL POTS e tantos outros seres abjectos que por aí andaram (andam, à espera da primeira oportunidade, creio eu)???

EM NOME DA THUMBALINA, ESTÁ PERDOADA...

20:01  
Anonymous Anónimo said...

BD, eu bem que nao estava a perceber...
grande erro meu!
mil perdoes!
espero que ainda me deixe namorar o seu querido filho..
confesso que fiquei espantada, mas há opinioes para tudo, e às vezes por escrito nao se percebe bem o tom.
para aproxima tento ler melhor antes de lançar bujardas.
mil beijos de perdao, com vénias, muitas vénias...
cat

01:57  
Blogger G! said...

Pai, depois desta não sei se deixava que continuasse a namorar com o teu filho ...

10:43  

Enviar um comentário

<< Home